Good Artists Copy, Great Artists Steal

10 03 2010

Um artigo de opinião em que Jonathan Schwartz conta alguns factos interessantes sobre os bastidores e sobre as patentes de software e como estas são más para o desenvolvimento. Bastidores de reuniões com Steve Jobs, Bill Gates entre outros e como estas empresas usam as patentes para intimidar outras empresas.

Fica o artigo para quem o quiser ler. Para mim não é nada que eu já não saiba e não esteja escrito por aqui.

I feel for Google – Steve Jobs threatened to sue me, too.

In 2003, after I unveiled a prototype Linux desktop called Project Looking Glass*, Steve called my office to let me know the graphical effects were “stepping all over Apple’s IP.” (IP = Intellectual Property = patents, trademarks and copyrights.) If we moved forward to commercialize it, “I’ll just sue you.”

My response was simple. “Steve, I was just watching your last presentation, and Keynote looks identical to Concurrence – do you own that IP?” Concurrence was a presentation product built by Lighthouse Design, a company I’d help to found and which Sun acquired in 1996. Lighthouse built applications for NeXTSTEP, the Unix based operating system whose core would become the foundation for all Mac products after Apple acquired NeXT in 1996. Steve had used Concurrence for years, and as Apple built their own presentation tool, it was obvious where they’d found inspiration. “And last I checked, MacOS is now built on Unix. I think Sun has a few OS patents, too.” Steve was silent.

As in life, bluster and threat are commonplace in business – especially the technology business. So that interaction was good preparation for a later meeting with Bill Gates and Steve Ballmer. They’d flown in over a weekend to meet with Scott McNealy, Sun’s then CEO – who asked me and Greg Papadopoulos (Sun’s CTO) to accompany him. As we sat down in our Menlo Park conference room, Bill skipped the small talk, and went straight to the point, “Microsoft owns the office productivity market, and our patents read all over OpenOffice.” OpenOffice is a free office productivity suite found on tens of millions of desktops worldwide. It’s a tremendous brand ambassador for its owner – it also limits the appeal of Microsoft Office to businesses and those forced to pirate it. Bill was delivering a slightly more sophisticated variant of the threat Steve had made, but he had a different solution in mind. “We’re happy to get you under license.” That was code for “We’ll go away if you pay us a royalty for every download” – the digital version of a protection racket.

Royalty bearing free software? Jumbo shrimp. (Oxymoron.)

But fearing this was on the agenda, we were prepared for the meeting. Microsoft is no stranger to imitating successful products, then leveraging their distribution power to eliminate a competitive threat – from tablet computing to search engines, their inspiration is often obvious (I’m trying to like Bing, I really am). So when they created their web application platform, .NET, it was obvious their designers had been staring at Java – which was exactly my retort. “We’ve looked at .NET, and you’re trampling all over a huge number of Java patents. So what will you pay us for every copy of Windows?” Bill explained the software business was all about building variable revenue streams from a fixed engineering cost base, so royalties didn’t fit with their model… which is to say, it was a short meeting.

Ler o artigo ( acima de tudo, ler os comentários )





Má conduta em tribunal vale mais 40M$ de multa à Microsoft

15 08 2009

1720-5299O Juiz que impediu a Microsoft de vender nos Estados Unidos por violação de patentes da Canadiana I4I as versões mais recentes do Office que possam abrir documentos XML com as extensões .DOCX,.XML, ou .DOCM, adicionou uma multa adicional de 40 milhões de Dólares à mesma por conduta imprópria por parte dos advogados de defesa.

Este processo que corre em tribunal desde 2007 valeu à Microsoft um total de 290 Milhões de dólares de penalização, sendo 200 Milhões de indemnização, 50M de despesas e mais os 40M por conduta imprópria totalizando uma soma de 290 Milhões de dólares.

A Microsoft tem agora dois meses para recorrer da sentença ou alterar a função no software ou estabelecer um acordo com a I4I, caso contrário fica proibida de vender ou suportar as versões do Office 2003, Office 2007 ou ainda a próxima versão, Office 2010.


Informação adicional

 





Microsoft Dirty Secrets – como a empresa de Bill Gates subverteu as leis do mercado e criou um monopólio

25 05 2009

Entrada do  blogue “o Vigia”

Esta entrada aqui no blog servirá para de alguma forma explicar ou documentar através de links a forma como a empresa de Bill Gates, Microsoft, subverteu as leis do mercado e criou um monopólio, colocando assim em causa a liberdade de escolha dos consumidores bem como a inovação e desenvolvimento da área de Tecnologias de Informação, uma vez que usou todos os truques sujos e mais alguns para destruir ou adquirir os seus concorrentes directos.

Tenho lido e comentado diversos artigos no site português relativo às novas tecnologias, o Tek da Sapo, e uma das coisas que mais me espanta é o enorme desconhecimento por parte das pessoas e até dos jornalistas que lá escrevem, das manobras e truques baixos que a Microsoft sempre usou desde o seu inicio para aprisionar os seus consumidores/clientes bem como destruir os seus concorrentes.

Link para a página do blogue

Neste mesmo blogue uma secção sempre em actualização sobre a MS





TOM TOM associa-se à Open Invention Network

24 03 2009

billgates01TomTom a fabricante de GPS’s que está a ser  processada pela Microsoft,  juntou-se a um colectivo de empresas que têm suas patentes agrupados num  esforço para ajudar a defender o software de código aberto contra ameaças legais.

Num  comunicado à imprensa na segunda-feira, a Open Invention Network (OIN)  disse que a TomTom se juntou às suas associadas.

O colectivo visa criar um “ecossistema protegido de apoio para garantir o crescimento e adopção do Linux” e já acumulou um leque de 275 patentes emitidas e pendentes.

O Linux desempenha um papel importante na TomTom como o núcleo (kernel)  de todos os nossos dispositivos portáteis de navegação“,  Peter Spours, director de IP da TomTom, disse em uma declaração.  “Acreditamos que ao tornar-se um membro da Open Invention Network encorajamos o desenvolvimento do Linux e promovemos a inovação de uma comunidade técnica que beneficia a todos.”

A Microsoft anunciou no mês passado que estava a processar a TomTom devido a uma série de patentes, incluindo diversas relacionadas com o uso do kernel do Linux nos GPS’s TomTom .  Este facto marcou a primeira vez que a Microsoft se virou para os tribunais para fazer valer o que até agora não passava de ameaças não realizadas  de que o Linux infringe patentes da Microsoft.

Fazem parte deste núcleo empresas como a Red Hat, Google, Sony, IBM, NEC.





Mais um estudo que demonstra que as patentes não estimulam a investigação

17 03 2009

tux-campus

Mais um estudo a comprovar que o actual sistema de patentes está a necessitar de uma grande reformulação.

A noticia vem do blog “o Vigia”

Um estudo levado a cabo por uma equipa internacional e dirigido pelo professor Peter Bossaerts do Lausanne’s Federal Institute of Technology, chegou à conclusão que uma economia de mercado onde os inventores/criadores compram e vendem porções de elementos chave das suas descobertas bate o sistema de patentes actualmente em vigor, especialmente no número de empresas/pessoas beneficiadas, níveis de colaboração e velocidade de desenvolvimento.

Fonte & texto: O Vigia





Abuso de patentes coloca em risco a saúde de americanos

14 03 2009

trustUm grupo chamado de Open ISES Project criou um sistema Open Source chamado Cards 911 que consiste num documento feito em Open Office que é para ser usado na linha 911, o equivalente ao nosso número de emergência, o 112.

Este documento do Openoffice Writer consiste num procedimento que conforme se vai clicando em certas palavras chave vai redireccionando o assistente para hiper-ligações dentro do mesmo que vai despistando sintomas e ajudando este a ajudar a pessoa que ligou o mais rapidamente possível podendo ajudar a salvar vidas.

Este documento é Open Source ( Software Livre) e está disponível gratuitamente no site do projecto.

Advogados de uma empresa chamada “Priority Dispatch Corporation” enviaram um documento com a listagem de dez (10) patentes que a companhia detinha e exigiram que todas as cópias electrónicas e físicas deste documento fossem destruídas.

Ler a discussão no TechDirt





Patentes impedem inovação – prejudicam economia

12 03 2009

tux_book_circleAs patentes e leis de direitos reservados estão a prejudicar a inovação e a ameaçar a economia global

Este é o conteúdo de um novo livro que pode ser descarregado gratuitamente e que foi escrito por dois economistas da Universidade Washington em St. Louis, Estados Unidos da América.
Michele Boldrin e Dakid K. Levine pedem o fim do sistema actual de patentes de forma a que as inovações necessárias possam ser feitas de modo a que se possa combater a actual recessão económica e salvar a economia mundial.

São situações actuais como o caso da Microsoft contra a TOM TOM que impedem a livre evolução de tecnologias e produtos, pondo em risco postos de trabalho e a criação de emprego.
O sistema actual de patentes impede que pequenas empresas que tenham produtos inovadores possam concorrer livremente no mercado com produtos novos contra os “dinossauros” das patentes.

O livro em inglês pode ser descarregado aqui.

Discussão e mais informação